TV digital: Morre Luiz Fernando Gomes Soares, o ‘pai’ do Ginga

Morreu na noite desta terça-feira, 8/9, o professor Luiz Fernando Gomes Soares. Co-criador do sistema Ginga, para a interatividade na TV Digital, LF, como era conhecido, sofreu um infarto e morreu antes de chegar ao hospital, no Rio de Janeiro, cidade em que o mineiro de Belo Horizonte adotou. Ele tinha 61 anos.

Em 2015 faz exatamente uma década que o Ginga – então ainda chamado de Maestro – foi proposto ao Sistema Brasileiro de TV Digital. A criação do middleware foi uma parceria do Laboratório de Telemídia, do Departamento de Informática da PUC-RJ, coordenado por LF, e Guido Lemos, do Núcleo de Extensão em Aplicações de Vídeo Digital (Lavid) da UFPB.

Mais do que um avanço tecnológico desenvolvido no Brasil, o Ginga é uma ferramenta superior aos padrões de TV Digital adotados na Europa e nos Estados Unidos no campo da interatividade – com recursos que sequer existem por lá, como a sincronização de diferentes mídias ou a facilidade de o conteúdo ser acessado pela televisão, tablet, smartphone e isso ser gerenciado pelo provedor.

O uso do middleware, no entanto, ainda é restrito no país, especialmente pelo fato de as emissoras comerciais não terem apresentado aplicações interativas – o que acabou levando a uma adesão até mais rápida do Ginga em parceiros sulamericanos que também adotaram o SBTVD. O principal impulso virá com a distribuição de conversores a famílias pobres, na transição digital em curso.

Engenheiro elétrico pela PUC-RJ, onde também fez mestrado e doutorado (em informática), LF tinha pós-doutorado pela Ecole Nationale Supérieure des Télécommunications. Entre as muitas atividades, era representante da academia no Fórum Brasileiro de TV Digital e foi editor da Recomendação H.761 do da União Internacional de Telecomunicações para serviços IPTV. Como costumava lembrar, “o Ginga foi a primeira tecnologia brasileira que virou padrão mundial”.

Em nota, o ministro das Comunicações, Ricardo Berzoini, lamentou a morte do professor Luiz Fernando:

"O professor Luiz Fernando Gomes Soares, falecido ontem (8), foi uma referência para todos os pesquisadores e integrantes da academia brasileira que acreditam na inovação como elemento de inclusão social e democratização do acesso aos meios de comunicação. Em sua carreira, seus principais trabalhos sempre perseguiram este objetivo, visando incluir a maior parcela do povo brasileiro nos novos serviços de tecnologia de informação e da televisão digital. Nos últimos 15 anos, dedicou sua carreira vitoriosa à bandeira da disseminação do middleware Ginga NCL, que criou ao lado de outros pesquisadores brasileiros e que é padrão internacional recomendado pela União Internacional de Telecomunicações.

No momento em que o Brasil implementa o processo de desligamento da TV analógica e a definitiva entrada na era digital, a memória do professor Luiz Fernando nos ajuda a trabalhar no sentido de buscar a melhor solução de inclusão digital possibilitada por esta inovação. Em breve, o Ginga e as aplicações desenvolvidas em sua base estarão em pelo menos 14 milhões de televisores dos beneficiários do Programa Bolsa Família. Essa é a melhor maneira que o Governo Federal, o Ministério das Comunicações, as empresas e a sociedade brasileira podem homenagear a memória desse grande brasileiro, que deixa um legado inestimável para a área das comunicações do nosso País."

Fonte: Convergência Digital